Topografia com Drones X Topografia Tradicional: Qual a diferença?

Desde que os drones passaram a ser utilizados na construção civil, mais especificamente na execução de levantamentos topográficos, muitas dúvidas começaram a ser levantadas sobre as diferenças entre a topografia tradicional e a topografia com drone. Afinal, existem distinções significativas entre os dois métodos? É isso que vamos esclarecer a seguir.


Diferenças de realização dos dois métodos


Na topografia tradicional, os equipamentos mais utilizados são a Estação Total e o Sistema RTK, ambos terrestres. A Estação Total é um aparelho eletrônico e mecânico indicado para o levantamento planialtimétrico com precisão milimétrica, para elaboração da planta do terreno. Trabalha coletando dados de medidas dos ângulos e distâncias para gerar pontos de coordenadas.

O Sistema RTK funciona para coletar dados geoespaciais transmitidos via satélite, também para a obtenção de coordenadas precisas. Basicamente, a diferença entre ele e o método anterior é que a precisão desse sistema está na escala dos centímetros e não dos milímetros. Porém, do ponto de vista da produtividade, ele ganha vantagem, porque possibilita a coleta de um número maior de pontos em menos tempo.

Esses dois sistemas fazem parte da topografia tradicional. Diferente deles, o drone é um equipamento aéreo conduzido via controle remoto e equipado por câmeras que capturam imagens aéreas do terreno. Ou seja, se a região tiver muitas árvores, prédios ou outros obstáculos que dificultem o uso da topografia tradicional, o drone é uma alternativa. Ele é mais rápido do que os dois métodos anteriores, realizando em poucas horas um trabalho que levaria dias.

Também é importante ressaltar que a tecnologia terrestre costuma exigir uma equipe de vários profissionais, enquanto o drone pode ser conduzido por uma única pessoa e mesmo assim mapear toda a extensão do terreno.


Resultados obtidos


O drone também sai ganhando em comparação com a topografia tradicional ao levar em conta os resultados. As imagens aéreas obtidas pela aeronave têm a característica de permitir o chamado tratamento MDS (Modelo Digital de Superfície) para se obter posteriormente o MDT (Modelo Digital do Terreno).

Após esse tratamento, a imagem final tem mais qualidade do que a obtida pela topografia terrestre, com maior riqueza de detalhes e informações sobre o terreno. Projetos de infraestrutura, por exemplo, que exigem um trabalho mais minucioso, certamente são beneficiados pela tecnologia do drone.


Como escolher entre a topografia tradicional e a topografia com drone?


A tendência é que os drones sejam adotados com uma frequência cada vez maior na construção civil. Afinal, como acabamos de observar, ele permite maior produtividade, otimização do tempo e da mão-de-obra, economia de recursos e ainda oferece imagens de maior qualidade. É tudo o que esse segmento precisa para continuar se desenvolvendo.

Na maior parte dos casos, o drone será mais indicado do que os métodos tradicionais, especialmente quando o terreno oferece dificuldades de acesso.

Mas para aderir a essa nova perspectiva de topografia, é essencial contar com uma equipe qualificada que além de profissionais especializados tenha também um drone equipado com a câmera certa, que tenha as configurações necessárias para captar uma boa imagem.

Acesse o nosso site e conheça mais sobre o nosso trabalho com drones. Inovar na construção civil é o nosso propósito!